Contabilidade para profissionais da saúde: o que saber?

Na hora empreender, a contabilidade para profissionais da saúde é essencial para alavancar o negócio. Isso porque, o funcionamento contábil e a questão tributária são relevantes para a administração do consultório ou atendimento domiciliar.

Em um país como o Brasil, que conta com uma das mais complexas legislações tributárias, mesmo que os profissionais da saúde estejam dispostos a aprender, isso pode demorar algum tempo.

Isso porque, somente tributos ativos, são mais de 90. Com tudo isso de taxas, impostos e contribuições sociais para entender. Quer saber por onde começar? Confira este post especial sobre o assunto!

Qual o pontapé inicial para começar um negócio na área da saúde?

O primeiro passo é ter um bom planejamento do negócio. Afinal, a escolha do regime tributário pode ser fatal para o avanço de um consultório, clínica ou trabalhos autônomos na área da saúde.

Afinal, antes de iniciar o negócio é importante identificar qual o contexto se dará a atuação da empresa, observando o correto enquadramento e a carga tributária devida para o funcionamento.

Assim, qualquer erro na fase inicial da burocracia de abertura da empresa pode reduzir o faturamento da empresa e trazer prejuízos que dificulta a expansão dos negócios.

Por que empresas na área da saúde são diferenciadas?

O Conselho Federal de Medicina estabelece algumas regras específicas para a atuação profissional e objetivos sociais de uma empresa na área.

Assim, para abrir um negócio médico, é preciso tomar alguns cuidados relacionados ao objeto social e evitar que as regras estabelecidas pelo conselho sejam seguidas, por isso é tão importante contar com uma contabilidade para profissionais da saúde.

Além disso, a empresa que oferece serviços médicos é regulamenta pela esfera federal, onde são apresentadas as normativas que estabelecem o seu funcionamento.

No entanto, é preciso estar atento às obrigações fiscais relacionadas ao município onde a empresa ou o serviço está sendo prestado.

Portanto, é preciso estar atento às licenças específicas, exigidas para cada município onde o negócio terá sede. Entre elas estão o alvará sanitário, PGRS, entre outras.

Em especial, é preciso entender as particularidades de serviços oferecidos por cada empresa, já que não existe a atuação como comércio.

No entanto, é preciso incluir a compra de insumos como prática empresarial, entre outros detalhes.

Médico com CNPJ, tem alguma vantagem tributária?

Quando o médico aumenta os seus rendimentos como Pessoa Física e ultrapassa o teto da tributação básica de impostos, é a hora de pensar na abertura de uma empresa.

Isso porque, o pagamento de tributos na modalidade PJ funciona de forma diferente, sendo o custo tributário mais baixo após a abertura de uma clínica médica.

Assim, para entender qual é o momento ideal para a mudança, é preciso estar atento ao faturamento mensal do profissional.

Isso porque, quando o salário ultrapassa o valor mensal de R$ 5.000,00, pode ser mais vantajoso atuar com um CNPJ do que como CLT, ou seja, Pessoa Física, na qual a tributação pode chegar a 27,5%.

A importância da contabilidade para profissionais da saúde

Mas, para entender quais são as melhores opções, é importante contar com o apoio de uma empresa de contabilidade especializada na área da saúde, para ajudar a definir o planejamento tributário.

Isso porque, é preciso entender a previsão de faturamento, tipo de negócio, entre outras especificidades para definir qual o regime tributário e o modelo de empresa abrir.

Então, vai depender da distinção dos serviços oferecidos pela empresa e do formato ao qual será constituído que será definido o modelo de tributação, incidindo na alíquota e o cálculo dos tributos.

No entanto, vale lembrar que a abertura de uma empresa incide diretamente na redução da carga tributária em relação ao que o médico como pessoa física.

Qual a cota de tributos e a importância da contabilidade para profissionais da saúde?

Ao realizar um planejamento tributário, é importante entender quais são as faixas de alíquotas tributáveis passíveis para a abertura de empresa.

Por isso, distribuímos os dados em uma planilha:

RegimeCarga
Simples4% a 30,5%
Lucro Presumido11,33% + ISS
Lucro Real14,25% + 34% do lucro

Para tanto, a escolha do regime tributário que mais se adequa para o negócio na área da saúde deve estar atrelada ao faturamento e os custos para manter a empresa.

Mas, para tomar a decisão mais acertada, é preciso ter um plano com todos os serviços prestados e as condições de clínica e consultório.

Além disso, a constituição da empresa estará condicionada ao modelo de negócios, tipo de sociedade, entre outros detalhes.

As desvantagens do médico como CLT

Quando médico atua como pessoa física, ou seja, trabalho no regime de contratação CLT para empresas diversas, algumas desvantagens podem ser relacionadas.

Afinal, para o contratante, o valor de INSS é de 20% do montante salarial do profissional. Assim, muitos hospitais e clínicas estão optando pela contratação de médicos plantonistas, sem vínculo empregatício.

Além disso, o patrimônio do profissional fica mais vulnerável quando o médico decide atuar de forma autônoma.

Como falamos anteriormente, a carga tributária de um profissional que atua como pessoa jurídica é muito mais baixa que ao ser contratado pelo regime CLT.

Consequentemente, o faturamento do médico tende a ser maior com um CNPJ.

No quesito oportunidades, o campo se abre ainda mais para profissionais médicos que atuam como uma empresa, prestando serviços para terceiros.

Isso porque, os hospitais e clínicas estão dando prioridade para plantonistas que estão atuando sem vínculo empregatício e em diferentes horários, podendo compor a grade médica.

Quais os tipos jurídicos ideais para CNPJ de empresa médica?

Outro ponto de destaque na hora de decidir sobre a abertura de uma empresa para prestação de serviços médicos está ligado ao modelo jurídico de atuação.

Afinal, tudo dependerá dos serviços prestados, se a empresa será uma clínica, consultório médico e qual será o perfil social.

No entanto, é possível adequar as especificidades de cada tipo de negócio para enquadrar nos seguintes tipos:

  • Empresário individual;
  • Eireli;
  • Cooperativas;
  • Sociedade Unipessoal;
  • Sociedade Simples Ltda.

Lembrando que, em cada um dos tipos de empresa, é possível que o médico tenha um sócio, que pode ou não ser da área médica.

Então, para abrir uma empresa é importante contar com o apoio de uma contabilidade para profissionais da saúde. Quer saber mais sobre o serviço, conheça os nossos serviços.

3 comentários em “Contabilidade para profissionais da saúde: o que saber?”

  1. Pingback: Fluxo de caixa para nutricionista – Blog Escritax

  2. Pingback: Como evitar erros na declaração do Imposto de Renda – Blog Escritax

  3. Pingback: Imposto de renda para dentistas – Blog Escritax

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima