Principais pontos que você deve considerar antes de abrir uma clínica de fisioterapia

Iniciar sua jornada com uma clínica de fisioterapia é um enorme passo. Afinal, de um dia para o outro você já não é apenas um profissional da área, mas também um empreendedor. Administrar seu próprio negócio também costuma significar que você terá mais responsabilidades, menos tempo livre e, eventualmente, algumas dores de cabeça (e está tudo bem). 

Isso acontece porque você precisará cuidar de cada paciente com dedicação e fazer o mesmo pelo seu negócio. Pesquisar preços de equipamentos, falar com os planos de saúde e resolver questões financeiras passam a ser de sua responsabilidade, mesmo que você se quer saiba por onde começar. 

Mas, tenha calma! Apesar das muitas atribuições, é possível tornar o processo de abrir uma clínica de fisioterapia muito mais simples e certeiro. Para descobrir como, é só tirar alguns minutos do seu dia, sentar-se confortavelmente e aproveitar este artigo até o final.  

Tudo pronto? Então, vamos começar! 

O que você deve considerar antes de abrir a sua clínica? 

Não há atalhos quando se trata de abrir uma clínica de fisioterapia, ou seja, há coisas que realmente precisam ser feitas, sem discussão. No entanto, com um pouco de planejamento, foco e contando com a ajuda de contadores experientes, é possível diminuir a espera para esse grande dia. 

Os principais pontos a serem levantados estão descritos abaixo.  

  1. Entenda a sua motivação 

O primeiro passo é entender o motivo que lhe fez querer abrir uma clínica de fisioterapia. Você quer se aprimorar profissionalmente? Trabalhar de forma independente? Gerar mais renda? Tenha sua motivação clara em mente e coloque-a no papel. 

Em seguida, faça a si mesmo a pergunta: “por que isso é importante para mim?”. O objetivo é chegar ao cerne da questão. Quando há uma motivação clara em nossa mente, é muito mais fácil tomarmos decisões, já que cada uma delas servirá para sustentar aquele “porquê” inicial.  

  1. Pesquise sobre o mercado 

Nenhum negócio deve começar sem uma pesquisa de mercado precisa. Ao realizar tal pesquisa, você deverá reconhecer: 

  • Quem são seus pacientes; 
  • Que tipo de fisioterapia eles precisam; 
  • Por qual razão eles precisam de sessões de fisioterapia; 
  • O que será necessário para fazê-los escolher a sua clínica. 

Em seguida, é preciso também pesquisar sobre a concorrência, identificando: 

  • Quantas clínicas existem na sua região (cidade/bairro/rua); 
  • Como estão estruturados os negócios de seus concorrentes (se trabalham sozinhos, em parceria ou em grandes clínicas); 
  • Há quanto tempo esses profissionais estão na área. 

Ter essas respostas em mãos ajudará a determinar o potencial de possíveis clientes na região onde você pretende iniciar sua empresa.  

  1. Escolha seu nicho 

Com uma ideia clara do seu nicho, você poderá, enfim, entrar em contato com planos de saúde, possíveis parceiros e com uma boa base de clientes. Entre as opções disponíveis encontramos: 

  • Fisioterapia esportiva; 
  • Fisioterapia traumato-ortopédica; 
  • Fisioterapia aquática; 
  • Fisioterapia intensiva. 

Escolha entre as quinze diferentes áreas reconhecidas, atualmente, pelo Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (COFFITO) e, então, foque em “vender” seu serviço. 

  1. Desenvolva um plano de marketing 

Você precisa de uma boa estratégia de marketing quando decide abrir uma clínica de fisioterapia. Para isso, planeje todas as inserções necessárias, como peças impressas e digitais, anúncios em redes sociais e até mesmo cartazes em academias, por exemplo.  

Certifique-se também de ter cartões de visita sempre disponíveis para serem entregues aos pacientes e aos interessados no seu serviço. Por mais que o online esteja em alta, nunca subestime o poder do offline.  

Como escolher a melhor localização para a sua clínica? 

No geral, não existem regras sobre a localização de uma clínica de fisioterapia. O importante é que ela siga, simplesmente, as normas sanitárias estabelecidas pelo município.  

Na hora de optar por um imóvel, o que é realmente indispensável é encontrar as respostas para as seguintes perguntas: 

  • Quantas pessoas vivem e trabalham na região? 
  • Quais são os dados demográficos, como idade e poder aquisitivo? 
  • Quantas clínicas médicas existem na área? 
  • Quantos profissionais de fisioterapia atuam na região? 
  • Quão acessível é o local? 
  • Existem estacionamentos próximos? 
  • O imóvel é térreo ou possui escadas? Lembre-se que nem todas as pessoas conseguem fazer um esforço como esse. 

Além da localização geográfica, é preciso considerar a localização física. Afinal, de quanto espaço você precisa para desenvolver suas atividades? Não há nenhum problema em optar por um lugar pequeno no começo. O importante é garantir o conforto necessário para seus pacientes. 

Como orçamentar sua estrutura? 

Para não perder a mão na hora de abrir uma clínica de fisioterapia, complicando a sua situação financeira antes mesmo da inauguração, leve em consideração questões como: 

  • Estrutura do aluguel: qual a duração do contrato? Quais as condições em caso de rescisão do mesmo? 
  • Tamanho: há espaço para aumentar o imóvel? O dono permite reformas e mudanças na estrutura? Há salas suficientes ou terei que investir na abertura delas? 

Entenda de tributação (ou encontre quem o ajude com isso) 

Antes de mais nada, é preciso saber que as clínicas de fisioterapia estão classificadas pela CNAE/IBGE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) 8650-0/04.  

Certo, mas o que isso significa? Que é possível aderir ao Simples Nacional, um regime compartilhado de arrecadação, fiscalização e cobrança de tributos, voltado para microempresas e para empresas de pequeno porte. Ainda é possível aderir a outro regime, desde que esse atenda a legislação tributária. 

O Simples Nacional, por exemplo, abrange os tributos a seguir: 

  • CSLL; 
  • PIS/Pasep; 
  • IRPJ 
  • IPI; 
  • ISS; 
  • ICMS; 
  • Cofins; 
  • CPP. 

Além disso, também é necessário fazer o recolhimento dos tributos abrangidos mediante o documento único de arrecadação, mais conhecido como DAS. Levando em consideração o valor da receita, o valor do imposto será apurado, variando entre 4% e 19%. 

Entretanto, como já mencionamos, existem diversos regimes que podem ser escolhidos pelo fisioterapeuta. O ideal, nesse caso, é sempre buscar a ajuda de um contador, tanto para receber orientações sobre enquadramento jurídico quanto para entender melhor o regime de tributação. 

Como um contador pode me ajudar? 

Os profissionais de contabilidade costumam ser os melhores amigos de quem pretende abrir uma clínica de fisioterapia. Isso porque, eles podem ajudar a manter o livro caixa organizado, garantindo o controle de gastos da empresa, além de lhe auxiliar com o fluxo de entrada e saída de dinheiro, e com questões legais, a famosa papelada, como: 

  • Registro da empresa; 
  • Licença profissional; 
  • Documentação fiscal. 

Eles também podem fazer projeções para que você consiga compreender sua saúde financeira, indicando as melhores soluções e até mesmo possíveis financiamentos ou investimentos.  

O resultado? Você poderá dormir melhor à noite, sabendo que as suas finanças estão sob controle.  

Abrir uma clínica de fisioterapia pode ser uma experiência imensamente gratificante. Entretanto, para que esse processo seja mais simples e menos burocrático, você precisa entendê-lo por completo, buscando informações e profissionais que lhe auxiliem na jornada. Feito isso, mãos à obra! 

Gostou do nosso conteúdo? Então, conheça nosso blog agora mesmo e leia mais sobre o universo da contabilidade. Agora, se você precisa de ajuda com a sua empresa, é só entrar em contato com os especialistas da Escritax.  

Rolar para cima