Como cadastrar o consultório médico no plano de saúde

Se você empreende na área médica e deseja ver seu negócio crescer, é indispensável cadastrar o consultório no plano de saúde (ou em mais de um). Isso porque, tais planos podem lhe garantir uma maior visibilidade e, consequentemente, um número expressivo de novos pacientes.  

Entretanto, nem sempre é fácil entender a logística por trás dessa “filiação”. Assim, até mesmo o primeiro passo, ou seja, o cadastro, pode parecer um pouco complicado para quem não possui um conhecimento mais burocrático do setor.  

Logo, se você deseja atender através de convênios, mas não sabe por onde começar, fique atento a este artigo. Aqui, você descobrirá tudo o que precisa para expandir seu negócio ainda mais! Vamos começar?

Como médico, por qual razão devo cadastrar o consultório no plano de saúde? 

Primeiramente, deve-se levar em consideração um argumento bastante sólido quando o assunto é cadastrar o seu consultório no plano de saúde: o número de beneficiários não para de crescer.  

Quem nos mostra isso é a própria Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) em seu mais recente boletim, divulgado em fevereiro deste ano.

No geral, os dados mostram que há um total de 49 milhões de usuários de planos de saúde no país. Estes, por sua vez, realizam cerca de 1,6 bilhão de exames, consultas, cirurgias, terapias e internações anualmente.  

Logo, por mais tentador que possa parecer se limitar a consultas particulares, atender diferentes planos pode ser realmente vantajoso. Sobretudo, claro, se considerarmos a quantidade de atendimentos realizados através dos mesmos.  

Ou seja, ganha-se pela quantidade.  

Quais os principais benefícios de atender planos de saúde? 

Além do ponto citado acima, atender planos de saúde pode ser vantajoso pelos seguintes motivos:

  • Aumento no fluxo do caixa. Afinal, mesmo em meses em que a procura por atendimento costuma ser baixa, sempre há quem precise marcar um horário; 
  • Visibilidade. Em síntese, o profissional aproveita o marketing feito pelos planos e garante uma propaganda extra; 
  • Possibilidade de expandir o negócio. Com a alta procura, o consultório pode oferecer outros serviços, como exames e tratamentos, retendo um número maior de pessoas. 

Em quantos planos de saúde posso me cadastrar? 

Em suma, é possível atender quantos planos de saúde você desejar, não havendo um limite estabelecido. No entanto, é preciso ficar de olho caso algum deles cobre exclusividade, o que é proibido, como descrito na Medida Provisória nº2.177-44/01, de 24 de agosto de 2001. 

Assim, o mais indicado, para não ter problemas no futuro, é perguntar a outros médicos sobre as operadoras com as quais eles trabalham (e se elas são ou não recomendadas, claro).  

Por outro lado, procure também ler sobre o processo de credenciamento de cada uma, para evitar surpresas desagradáveis.  

Como posso cadastrar o consultório no plano de saúde? 

Finalmente, chegamos à parte mais burocrática do processo de cadastrar o consultório no plano de saúde: preparar a papelada.  

Antes de mais nada, você deve saber que o cadastro pode ser realizado de duas maneiras. Ou seja, como pessoa jurídica (PJ) e como pessoa física (PF). Tudo dependerá de suas preferências e do seu modo de trabalho.

Em contrapartida, devemos lembrar que nem todas as operadoras solicitam os mesmos documentos. Assim, é recomendável entrar em contato com as mesmas antes de iniciar qualquer processo, evitando uma perda desnecessária de tempo e agilizando os trâmites.

Documentos necessários para se credenciar como PJ 

Se você deseja acelerar o cadastro do seu consultório, comece separando os seguintes documentos: 

  • Contrato social; 
  • Cartão do CNPJ; 
  • Inscrição do ISS junto à prefeitura da sua cidade; 
  • Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES); 
  • Último comprovante de pagamento do ISS; 
  • Documento de inscrição junto ao CRM; 
  • Alvará da Vigilância Sanitária; 
  • Todos os documentos do responsável técnico pelo consultório. No caso, CPF, CRM e diploma, por exemplo; 
  • Se mais de um profissional atender no local, forneça uma relação com os nomes dos mesmos; 
  • Documentação da conta bancária do consultório. 

Documentos necessários para se credenciar como PF 

Agora, se o seu desejo é realizar os atendimentos de planos de saúde como pessoa física, fique de olho nos documentos comumente solicitados: 

  • Inscrição no ISS junto à prefeitura da sua cidade; 
  • Documentação do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES); 
  • Alvará atualizado da Vigilância Sanitária; 
  • Inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM); 
  • Documentação do profissional de saúde responsável pelo cadastro. Ou seja, CPF e títulos de especialidade, por exemplo;
  • Comprovantes da conta bancária; 
  • Demais dados do local onde os atendimentos ocorrem. 

Com o envio dos documentos, o plano de saúde oferecerá um contrato com algumas especificações e com um prazo preestabelecido de vigência, que poderá (ou não) ser renovado posteriormente.  

Lembre-se de, antes de assinar, ler tal contrato por completo. Se necessário, aliás, converse com um contador de confiança. Ele, por sua vez, poderá lhe auxiliar no processo para que não haja nenhum contratempo.

Como ocorrem os pagamentos por parte dos planos de saúde? 

Uma dúvida muito frequente dos profissionais que começam a atender através dos planos de saúde é com relação aos pagamentos. Afinal, quando e como eles ocorrem? 

Resumidamente, cada consulta realizada exigirá a geração de uma guia conhecida como TISS, ou “Troca de Informações na Saúde Suplementar”. Tal guia é padronizada e serve para o registro de todo e qualquer procedimento.  

A TISS também é usada para a troca de informações entre quem está prestando o serviço e a operadora do plano. Assim, todo o cuidado é pouco na hora de preenchê-la. Ok?

Um segundo recurso para o controle dos serviços prestados é o cadastramento realizado em um sistema de faturamento online. Desta maneira, fica mais fácil para o profissional entender quanto receberá e quantas consultas foram feitas.  

Posteriormente, ainda é possível verificar erros nas guias. Logo, se uma delas for negada, o profissional é avisado e pode recorrer. Do contrário, o valor não é repassado ao médico, que arca com o prejuízo sozinho.

Por fim, embora o tempo de processamento dos pagamentos possa variar de plano para plano, a maioria tende a efetuá-los em um prazo de, no máximo, 60 dias. Com essa informação em mãos é possível se planejar para sempre ter dinheiro em caixa.

Preciso de ajuda para cadastrar o consultório no plano de saúde. O que fazer? 

Se mesmo com as informações acima você não se sente seguro para cadastrar o consultório no plano de saúde, fique tranquilo! Além de todo o suporte contábil que você precisa, os especialistas da Escritax estão prontos para lhe orientar quanto ao assunto em questão.  

Para isso, basta entrar em contato conosco hoje mesmo e desburocratizar seus processos em um piscar de olhos! Vamos juntos aumentar seus rendimentos? 

Para mais dicas e informações sobre o tema, aproveite também para acessar nosso blog. Combinado?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima